sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Transparente feito o vidro




Minhas pernas já cansaram de fugir da saudade dos teus abraços,dos desejos por um pouco mais do teu perfume no meu cabelo,de quando a gente se abraçava tão forte que o mundo poderia acabar,e nada nos deteria.
Minha boca já secou de tanto que trago este e aquele cigarro tentando não falar,porque sei que se falo,e desato a falar,eu só irei dizer sobre sentimentos e você não entenderia o que digo,não mesmo.
Eu acendo mais um cigarro porque já não me resta nada além dele,e da solidão.
Eu fico aqui presa à essa maldita cadeira,porque me cansa pensar,além de me movimentar.
Porque todo movimento causa dor.
Porque cada batida do meu coração causa dor.
E essa dor me enfraquece além dos ossos,me enfraquece a alma.
Enfraqueceram as pernas de fugir das minhas verdades doídas.Daquela saudade ardida no peito,que ficou depois que você foi embora.
É menino,depois que você foi embora restou apenas um buraco enorme no peito,uma dor amarga que só sei quanto dói,e diga-se de passagem,dói muito menino.
Eu já tentei fugir disso,tentei fugir de você,mas percebo que devo fugir é de mim mesma.Porque é em mim que as memórias marcaram,é em mim que o peito dói,é em mim que a saudade aperta.
Minhas fraquezas todas estão aí,expostas para quem quer que seja,vê-las.Eu não tive pudor,e nem quis escondê-las,porque de nada adiantaria,querido.
Eu sou transparente feito o vidro,e elas estão ali,sendo exibidas todas elas como se estivessem em uma prateleira em dia de promoção,pronta para serem olhadas,uma por uma.
E eu só as mostro assim,porque minhas pernas estão cansadas demais para correr,meus pulmões estão cheios de ar para que eu consiga ter fôlego,e meu coração está fraco demais para suportar dor maior do que a que me causa a sua ausência.

2 Comentários:

Almir Warrior disse...

Humm,um poema que mistura sensualidade e obscuridade relata o amor entre dois seres^^

Parabéns

melissa disse...

UAAAAAAAAAAAAAAAAL*-* adorei fer*-*

Postar um comentário