segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Deixar ir

Sei que preciso te deixar partir,mas não consigo.É que te manter perto de mim me traz um certo alívio,mesmo sabendo que este 'perto',nem é tão perto assim,na verdade.
Mas sei também,que na verdade tentei.E acredite,nunca imaginei que conseguiria chegar tão longe de te deixar ir,como eu cheguei.Mas cada vez que me imaginava tão distante de tudo o que nos tornava tão próximos,era como se meu coração batesse tão devagar,que aos poucos ia parando,desistindo,morrendo.
Então me tornei egoísta,e preferi te manter em cativeiro,bem aqui.No peito,tão dolorido e tristonho,mas nem me importo,porque tenho você bem aqui.
Decidi que era melhor torturar meu coração machucado,triturar em mil pedaços se fosse preciso,porque eu não queria e não conseguia te deixar partir.Nem mesmo que eu quisesse de verdade,eu não podia,não mesmo!É como se cada parte de mim estivesse inteiramente conectada à cada parte de você.Como se o seu sopro de ar no meu rosto,fosse o mesmo ar que percorre meus pulmões me deixando viva.É como se o calor do seu corpo,transpassasse nossa pele,e aquecesse o meu também,e de certa forma,aquecia.
Mas,por mais que eu te mantenha aqui,tão perto de mim,não posso mais compartilhar desse calor.Não posso sentir mais o sopro do ar no meu rosto,não posso.
Mas mesmo que doa,mesmo que machuque,eu quero te manter aqui.Porque manter cada lembrança viva daquilo que um dia me fez feliz,por mais dolorido que seja,é melhor do que não ter nada do que lembrar.
E não precisa se preocupar,meu coração já está bem machucado para que isso me incomode tanto.Eu me acostumei com a dor,e ela se acostumou à mim.
Sinto muito querido,sinto mesmo.Mas eu preciso te manter bem perto,aqui,porque não consigo te deixar ir,não sem mim.


1 Comentário:

melimaenomenon disse...

entendo isso PERFEITAMENTE, ó

Postar um comentário